BROWARD INTERNATIONAL UNIVERSITY BRAZIL SERÁ A PRIMEIRA UNIVERSIDADE AMERICANA NO PAÍS

BROWARD INTERNATIONAL UNIVERSITY BRAZIL SERÁ A PRIMEIRA UNIVERSIDADE AMERICANA NO PAÍS

Belo Horizonte é a capital escolhida para receber o primeiro campus brasileiro da universidade

Ensino superior no sentido amplo da palavra. Trazer ao Brasil a excelência de ensino norte-americano e formar cidadãos para o mundo. Com estes objetivos ambiciosos, chega à Belo Horizonte, a Broward International University, respeitada instituição presente em 13 países com mais de 69.000 alunos matriculados.

A BROWARD INTERNATIONAL UNIVERSITY BRAZIL – BIUB oferecerá cursos em diversas áreas acadêmicas com uma metodologia global de ensino e aulas 100% ministradas em inglês. “É importante compreender que a BIUB não é uma instituição de ensino brasileira, filiada à uma Universidade norte-americana. Somos um campus ativo, nossos alunos estarão registrados no sistema educacional da Flórida, como se lá estivessem”, explica Ed Nelson Rodela.

O aluno da BIUB poderá, por exemplo, cursar parte de seus créditos acadêmicos estudando em qualquer um dos 13 campis espalhados pelo mundo, tais como Índia, China, Rússia ou até mesmo Dubai, sem desperdiçar tempo. “Trabalhamos com o conceito de Global Education Center em toda sua plenitude, formando profissionais multilíngues, com repertório vasto e desejados em todo mercado de trabalho”, cita Kimberly Marie Jones, Academic Dean da universidade.

Matrículas
A partir de novembro deste ano, a Broward University Brazil iniciará o processo de seleção e matrículas de novos alunos. O critério de aceitação é idêntico ao praticado em solo norte-americano e passa pela avaliação, não só de notas como também de competências. “Assim como em todos os nossos campi, o candidato precisa se merecedor da vaga”, informa Livia Maria, Institutional Relations que também será a responsável pelo programa de Hospitality Center que irá receber estudantes de todo o território nacional com segurança, conforto e praticidade.

 

Modelo de Educação Norte-Americana
O aluno que desejar fazer parte do corpo discente da Broward, precisará compreender o modelo norte-americano de ensino. Seu primeiro objetivo será alcançar 60 créditos em 2 anos, sendo os 30 primeiros de grade curricular comum, necessários a qualquer área profissional. Matérias como Filosofia, Literatura, Sociologia, Matemática e Liderança são consideradas base para posteriores conhecimentos específicos.

Em seguida, o estudante deverá conquistar mais 30 créditos em “préáreas de concentração”. Nesta etapa, conhecimentos ligados à carreira que deseja atuar preencherão seu histórico.

Após a conclusão desta primeira fase de ensino (60 créditos), cursada no campus de Belo Horizonte, o aluno poderá optar por concluir seu ensino na própria Broward EUA, ou, se transferir para qualquer uma das 4.500 instituições de ensino superior norte-americanas. “Desejamos formar cidadãos culturalmente capazes, éticos, globais, responsáveis e diferenciados. Não mediremos esforços para isso. Nossos alunos não serão apenas aceitos por Stanford, Yale ou até mesmo Harvard, serão desejados”, conclui Kimberly.

Superior
A missão da Broward International University Brazil não é simples: ser a porta de entrada para um mundo de infinitas possibilidades. Por isso a instituição é filiada a outras reconhecidas universidades americanas.}

O intercâmbio entre metodologias ocorre justamente para que a visão do aluno seja ampla e para que ele seja o único responsável pelo seu destino profissional. Prova disso é que, recentemente a Broward College foi nomeada como uma das 3 principais faculdades dos Estados Unidos. O título concedido pelo AspenInstitute premia as instituições que melhor focam no sucesso dos seus alunos pós ensino regular.

Brazil, herewego!
A Broward chega ao Brasil em uma hora muito propícia. O crescente número de alunos intercambistas demonstra o interesse de toda uma geração na educação de qualidade e no “background” internacional. “A nossa intenção é apresentar uma opção de primeiro mundo para a formação de um “cidadão global”, capaz de enfrentar uma série de novos desafios, que minha geração, por exemplo, sequer imaginou, finaliza Ed Nelson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *